• Valeska Petek

Perfil I do DISC: o que significa e o que fazer com o resultado do seu teste


Quando me perguntam se apenas pessoas comunicativas têm chances de se destacarem em suas carreiras, vejo o quanto o mercado ainda precisa evoluir ao lidar com a diversidade de perfis. Essa cultura que valoriza a interação entre pessoas muitas vezes tem boa intenção, mas acaba nos levando a esquecer o quanto pessoas mais reservadas têm a contribuir, especialmente com a sua capacidade analítica. Uma inspiração sobre esse tema é a apresentação TED da autora Susan Cain, chamada "O Poder dos Introvertidos" (disponível aqui).


Por outro lado, pessoas que se sentem mais confortáveis ao falar em público e têm facilidade ao reunir um grupo de pessoas podem ser interpretadas com julgamento, recebendo o conselho de "pensar mais e falar menos". Claro que há casos em que é preciso mesmo estruturar melhor as ideias antes de verbalizá-las, mas ter um perfil mais falante não necessariamente significa menos raciocínio por trás da elaboração de ideias.


Nossa tendência a nos comportamos de modo mais comunicativo ou reservado pode ser explicada através da análise do nosso perfil. Isso é possível através de testes oficiais (com embasamento científico, testados e validados). No artigo Testes de Perfil: aliados do plano de carreira embasado em dados eu falo mais sobre a importância deles e como podem nos ajudar no nosso processo de autoconhecimento - o que é fundamental pra tirarmos aquele "achismo" das nossas decisões de carreira.


Neste artigo vamos falar sobre a segunda das quatro letras consideradas pela metodologia DISC, entendendo as características e oportunidades para quem tem uma Influência mais (ou menos) intensa.


O QUE SIGNIFICA SE MEU RESULTADO DEU UM I "ALTO"?


A palavra "alto" nesse contexto não se trata de algo positivo ou negativo. Ela apenas traduz o fato de que, no gráfico, há uma linha do meio e o ponto está localizado acima dela. Caso o seu resultado indique um I mais intenso, é possível que você se identifique com adjetivos como esses:


Comunicativo, Influente, Persuasivo, Verbal... entre outros.

Geralmente pessoas com essa característica tendem a se motivar ao atuarem com pessoas. Será que um "alto" I se daria bem em um cargo como o de Jornalista, por exemplo? Depende, se as atividades forem voltadas, em sua maioria, a algo mais verbal (como realizar entrevistas ou apresentar notícias), as chances são grandes.



Dica importante: se você tem um perfil como esse, pode ser que ambientes de trabalho sem muito reconhecimento te desmotivem (claro que todos nós valorizamos elogios e oportunidades de crescimento, mas para esse perfil isso é especialmente importante). Vale guardar essa informação ao pensar em mudanças na carreira: afinal, se o próximo cargo e/ou empresa forem parecidos com o anterior, a insatisfação vai te acompanhar por lá também.


O QUE SIGNIFICA SE MEU RESULTADO DEU UM I "BAIXO"?


A palavra "baixo" nesse contexto não se trata de algo positivo ou negativo. Ela apenas traduz o fato de que, no gráfico, há uma linha do meio e o ponto está localizado abaixo dela. Além disso, tudo o que está localizado abaixo da linha é importante para intensificar outras características. Caso o seu resultado indique um I menos intenso, é possível que você se identifique com adjetivos como esses:


Investigador, Reflexivo, Reservado, Sério... entre outros.

Geralmente pessoas com essa característica tendem a, por exemplo, serem mais analíticas. Será que um "baixo" I se daria bem em um cargo como o de Jornalista, por exemplo? Depende, se as atividades forem voltadas a pesquisa de dados e elaboração de pautas, as chances são grandes. Comunicar notícias com menos exposição (por exemplo por escrito) também pode ser uma atividade na qual esse perfil pode ter alguma facilidade.



Se você tem um perfil como esse, pode ser que ambientes de trabalho com uma alta necessidade de verbalizar ideias, se apresentando em público ou participando de reuniões frequentes, te desmotivem. Assim, vale guardar essa informação ao pensar em mudanças na carreira para que você possa ocupar um cargo com atividades que aproveitem o que você tem a oferecer.


Importantíssimo: não é possível avaliar uma pessoa com base em apenas uma característica. A metodologia DISC considera 4 letras, cada uma representando uma característica: Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade. Aqui neste artigo abordamos características introdutórias e gerais, mas apenas a interpretação da combinação dos 4 fatores (e suas intensidades) nos dará um parecer confiável. Nada de tomar decisões de carreira com informações pela metade, combinado? :)


-


Se você também quer tomar decisões de carreira com base em dados, fale comigo! Desde 2019 sou certificada pela Thomas International Brasil a aplicar e dar devolutivas do PPA (teste de perfil com base na metodologia DISC, auditado pela Federação Europeia de Associações de Psicólogos). Ele será a base da nossa análise, em que te ajudo a se conhecer melhor, bem como planejar os próximos passos do seu desenvolvimento - sempre de acordo com o que você deseja alcançar.


-


Vamos juntos construir a carreira que você quer ter?


Marque aqui alguém que vai gostar desse artigo. Vou adorar ler seus comentários ou dúvidas!


-

Artigo publicado originalmente aqui.