• Valeska Petek

Engenheiro Mecânico atuando em TI: uma transição de carreira planejada


Uma das melhores lembranças que tenho da época em que eu era Recrutadora foi a quantidade de profissionais que conheci. Há candidatos com quem nunca mais falei e outros com quem mantenho contato pelo LinkedIn (ou ao vivo, pois se tornaram meus alunos). Além disso, há os candidatos que foram selecionados para as vagas abertas e se tornaram meus colegas de trabalho - o que foi muito gratificante, pois além de ter acompanhado o desenvolvimento de cada um, me sentia orgulhosa por ter sido ponte entre essas pessoas e as oportunidades.


Hoje compartilho a jornada de um desses profissionais: um ex-colega de trabalho que foi entrevistado por mim em um processo seletivo para uma vaga de estágio. Anos depois dessa fase profissional, ele se tornou meu aluno: estruturamos uma estratégia para que ele pudesse comunicar ao mercado sua intenção de realizar uma transição de carreira: graduado em Engenharia Mecânica, ele foi atrás do sonho de atuar com TI (Tecnologia da Informação). Confira essa entrevista com o José e se inspire na possibilidade de migrar de área! 😉


Vamos lá, Zé! Podemos começar conhecendo um pouco sobre você? Qual a sua formação acadêmica?


Sou graduado em Engenharia Mecânica pela UNESP (em Bauru) e pós graduando em Engenharia de Software pela PUC Minas.


Quantos anos você tem de experiência em cada área?


Tenho bem pouca experiência com Engenharia Mecânica, pois acabei atuando de forma indireta, com foco em outras áreas (por exemplo, com Engenharia Logística e Compras). Já com Desenvolvimento de Software tenho 3 anos de experiência, considerando Brasil, Polônia e EUA.


Quais habilidades (soft skills) você percebe ter?


Eu sou bastante proativo no trabalho e tento ajudar o máximo possível as pessoas a conseguirem trabalhar, a completar a tarefa que lhes foram designadas. Acho que isso foi a principal coisa que me fez me tornar o Líder da Equipe de Desenvolvimento onde eu trabalho. Eu também sou bem calmo, nunca fico estressado com o trabalho e sou bem organizado com o que tenho que fazer e com meus horários.


Legal! Agora vamos entender a sua trajetória: com qual idade você começou a trabalhar?


Comecei a trabalhar com 21 anos, em 2019, no meu primeiro estágio na Volvo de Pederneiras (SP).


Na época, como você imaginava que seria a sua carreira no futuro? Você sonhava em ter alguma profissão em específico?


Quando comecei a trabalhar, eu já sabia que eu gostava de software, mas eu não achava que seria mais fácil conseguir trabalho nessa área do que na minha área de formação. Então, na época, eu tinha a visão de me tornar algum gestor em uma empresa multinacional ou algo próximo disso. Minha principal inspiração era meu pai nesse quesito.


Você tinha um planejamento de carreira?


Meu plano era crescer dentro da empresa em que eu estava.


Qual (e como) foi a sua maior mudança profissional?


A minha maior mudança profissional foi quando consegui ser contratado por uma empresa de TI (a DB1, em Maringá), como Desenvolvedor. Inclusive, Valeska, foi com a sua ajuda! 😃 Fazer o curso Meu Currículo com Estratégia me abriu um milhão de portas.


Essa mudança aconteceu por uma escolha sua ou foi causada por algum outro motivo?


Foi uma escolha minha. Eu queria muito que isso acontecesse.


Qual foi a sua primeira ação para fazer essa mudança acontecer?


Estudar e conseguir contato com a área da maneira que eu pudesse. Eu sabia que eu ia ter entrevistas técnicas e que eu precisava estar pronto. Então, eu me matriculei na pós e consegui um trabalho como freelancer na área. Isso também me proporcionou mais elementos pra colocar no currículo.


Quanto tempo levou, mais ou menos, desse a sua primeira ação até você sentir que essa transição foi concluída?


Aproximadamente 6 meses.


O que você precisou aprender? E quais conhecimentos você "aproveitou" da área anterior?


Basicamente tudo (isso vale pras duas perguntas). Na área de TI, eu tive que aprender tudo sozinho (antes da pós) e, ao mesmo tempo, ter me formado em Engenharia já me deu bastante base pra fazer o que eu tinha que fazer na nova área.


Por fim: qual conselho você daria para alguém que esteja considerando passar por uma transição de carreira?


Não se prenda ao seu trabalho nem à sua empresa, se prenda aos seus objetivos pessoais e sonhos. A empresa que você trabalha pode até dizer o contrário, mas ela não está necessariamente interessada no seu crescimento profissional. Se você foi promovido, é porque você tem a competência de gerar mais lucro em um cargo maior: nenhuma empresa vai te promover apenas pra te deixar feliz ou porque é você é uma pessoa boa. Vá atrás dos seus sonhos, olhe pra fora da sua empresa, e até pra fora do seu país.


-


Se você se identificou com a história do José, me conte! E marque aqui alguém que está passando por reflexões parecidas e que vai gostar desse artigo. Vou adorar ler seus comentários ou dúvidas!


-


Vamos juntos construir a carreira que você quer ter?


-

Artigo publicado originalmente aqui.