• Valeska Petek

A "Hora Certa"​ Não Existe: como tomar decisões de carreira então?


Sabe aqueles momentos da vida em que nos sentimos exaustos e perdidos, querendo que alguém nos pegue pela mão e nos diga o que fazer? Nessas horas seria muito útil ter um manual de instruções, que nos direcionasse sobre questionamentos como:


  • Devo ficar na empresa atual, esperando por aquela promoção - ou é hora de buscar novos ares?

  • Será que eu deveria começar um novo curso e fazer uma transição de carreira - ou já "passei da idade" de me aventurar?

  • Sempre quis trabalhar e morar naquela cidade, mas será que eu não deveria me estabilizar onde já estou?

Por um lado, infelizmente não existe uma receita pronta sobre o tempo certo das coisas. Não há uma quantidade ideal de tempo que defina se devemos ficar ou sair de uma empresa, nos aprofundar ou mudar de área, ou até mesmo se devemos fazer grandes mudanças de endereço.

Por outro lado, felizmente a ausência dessa fórmula mágica nos mostra que há várias respostas possíveis e o nome disso é liberdade. O difícil é saber o que fazer com ela e, por isso, nesse artigo te convido a pensar sobre o conceito de "hora ideal" para determinadas decisões de carreira.


É POSSÍVEL FICAR NA EMPRESA ATUAL E SER FELIZ

Se o trabalho atual te traz satisfação e você se visualiza alcançando seus objetivos na mesma organização no futuro, está tudo bem ficar por aí. É possível construir uma carreira que faça sentido pra você sem passar por várias empresas. Um exemplo inspirador disso está neste artigo, que conta a história do Fernando, com quase 30 anos de casa e que definitivamente não fez as mesmas atividades durante essas três décadas.


É POSSÍVEL FICAR NA EMPRESA ATUAL E SE FRUSTRAR

Pode ser que você não tenha se adaptado à cultura da empresa ou da equipe - e não vê caminhos para ajustar isso; ou talvez o cargo e o salário atuais sejam incompatíveis com o que você deseja - e a empresa não oferece possibilidades de crescimento; ou então as atividades descritas na entrevista pareciam mais atrativas do que realmente são - e não há flexibilidade interna para ajustá-las. Seja lá qual for o motivo pelo qual você não vê a hora de mudar de emprego, está tudo bem buscar alternativas. Não existe uma regra que dite o tempo mínimo de permanência em uma empresa para então poder ir atrás de outras oportunidades. Com planejamento e ações é possível mudar para melhor: o famoso "encerrar um ciclo" (tão falado nos posts aqui no LinkedIn).


DÁ PRA FAZER UMA TRANSIÇÃO DE CARREIRA E SUPER SE IDENTIFICAR

Independentemente da sua idade e de quantos anos de experiência você tem em uma área, é possível recalcular a rota da sua carreira mirando outros caminhos. Uma boa notícia aos receosos é que é possível fazer isso sem recomeçar do zero: sempre há algo a ser aproveitado da área anterior, seja o conhecimento, a experiência ou até as soft skills. Aqui vão alguns exemplos de profissionais que passaram por mudanças de profissão, área de especialidade e até de setor:



Em uma transição de carreira, sua idade ou o momento de vida importam pouco quando há uma boa estratégia por trás desse movimento. Comece, mesmo antes de estar totalmente pronto, com passos iniciais como o planejamento.


DÁ PRA FAZER UMA TRANSIÇÃO DE CARREIRA E AINDA ASSIM PRECISAR DE AJUSTES

Vamos imaginar um profissional que tenha passado por uma transição de carreira. Houve planejamento e uma decisão consciente, com ações que fizeram esse processo acontecer... agora é só ser "feliz para sempre", né?

Não necessariamente. Primeiro porque não existe um trabalho em que seremos felizes 100% do tempo. Em segundo lugar, após viver novas experiências, temos acesso a novas informações: sobre o mercado e também sobre nós mesmos. E se quisermos manter duas carreiras ao mesmo tempo? A Ana é um exemplo disso (aliando o empreendedorismo à carreira em uma indústria). E se, após fazer um movimento do mundo corporativo ao terceiro setor, fizer sentido voltar ao mundo corporativo novamente? Essa foi a vivência da Suelen. Quando se trata de carreira, você pode fazer as suas próprias regras, e a única pessoa que deve avaliar o momento de segui-las ou quebrá-las é você mesmo.


AMPLIAMOS NOSSOS HORIZONTES EM UMA MUDANÇA DE CIDADE

Nossa visão de mundo é ampliada a partir da quantidade e da intensidade de vivências que temos. Isso significa que: quando lemos livros interessantes, visitamos lugares inspiradores, e conversamos com pessoas que tiveram outras histórias de vida, por exemplo, adicionamos novas referências ao nosso repertório. Assim, temos mais facilidade de ver uma questão sob perspectivas diferentes e até estimulamos a nossa criatividade.


Imagine o quanto essa absorção é potencializada ao viver em uma cidade diferente, ou estado, ou então país? Minha experiência com mudanças de endereço me trouxe muitos perrengues e ao mesmo tempo memórias incríveis. E não dá pra separar, viu? 😅 O positivo e o negativo virão juntos, como um combo. Qual é o momento certo de partir para outra localidade? Depende.


  • Quando há um fator externo que motive a mudança, a decisão se torna um pouco mais fácil. A aprovação em um vestibular, uma oferta de emprego, a vontade de morar próximo a familiares ou amigos... Esse tipo de fator foi o que me motivou a me mudar de cidade (quando morei em Bauru) e também a ir para outro país (em Viena, na Áustria);

  • Quando há um fator interno que motive a mudança, percebo uma hesitação maior sobre essa decisão. No meu caso, ao me tornar empreendedora e atuar totalmente online, poderia atuar de qualquer lugar. Ao pesquisar o conceito de nômades digitais entendi o tamanho da liberdade que eu tinha - e não sabia o que fazer com ela. Na época, pesquisei cidades brasileiras com boa qualidade de vida, considerando critérios importantes para mim, e morei por alguns meses em Florianópolis (SC).


Se você sente que faz sentido planejar sua carreira considerando uma mudança de endereço (permanente ou temporária), dê um passo rumo a isso. Comece a planejar a vida e a carreira que você gostaria de ter, e dê o primeiro passo rumo à construção disso.


FORTALECEMOS NOSSAS RAÍZES AO CONTINUAR NA MESMA CIDADE

Pode ser que você tenha nascido em uma cidade onde tem acesso a oportunidades de carreira e qualidade de vida que te façam feliz. Ou então, passou por algumas mudanças e hoje encontrou um CEP para chamar de seu - sem a intenção de se mudar tão cedo. Vale reforçar que não há um tempo limite para estar em algum lugar: a decisão de manter o mesmo endereço, simplesmente por estar feliz com ele, não te torna automaticamente uma pessoa acomodada. Só satisfeita mesmo. E que ótima notícia, pois é exatamente o que a maioria dos seres humanos busca: sentir-se pertencente a um grupo, ter alguma rotina e hábitos saudáveis. Até os perfis mais aventureiros podem se beneficiar de alguma estabilidade, pois isso nos traz a sensação de segurança, fundamental para a nossa saúde. Se você está feliz onde está, não se sinta pressionado a viajar o mundo trabalhando com os pés na areia se isso não é importante pra você.



Não importa como é a carreira que você quer ter: em diversas empresas, passando por outras profissões, atuando em variados setores ou até trabalhando em outros continentes. O que importa é ela fazer sentido pra você. E sobre o tempo: é um conceito relativo, que depende do ponto de vista. Na dúvida sobre a "hora certa", siga o seu próprio relógio! :)


-


Vamos juntos construir a carreira que você quer ter?

  • Assine a minha newsletter para ser avisado sempre que um artigo for publicado.

  • Siga meu perfil para acompanhar conteúdos relevantes para o seu desenvolvimento.

  • Saiba mais sobre meus cursos, mentorias e palestras em valeskapetek.com.

  • Fale comigo para entendermos os seus próximos passos de carreira: (14) 98181-1529.


-

Artigo publicado originalmente aqui.